preloader

Search Here

PARTO NORMAL OU CESARIANA?

A cesariana é uma intervenção cirúrgica para realização de partos praticada há alguns séculos, sempre acompanhando os avanços tecnológicos da Medicina. Apesar da seguridade que apresenta para mães e bebês, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a cesariana apenas em casos específicos de indicação médica e afirma que no Brasil, atualmente, mais de 50% das cesáreas são realizadas em gestações de baixo risco. Casos de partos em que não há necessidade da cesariana, a utilização do procedimento pode acarretar exposição da saúde da mãe e bebê a riscos desnecessários.

A decisão sobre qual o tipo de parto mais adequado precisa ser compartilhada entre a mulher grávida, sua família e profissionais da medicina com especialização em Obstetrícia. Da mesma maneira, é direito da mulher escolher o local de nascimento, quais serão as pessoas acompanhantes e os procedimentos médicos prioritários no momento do parto. É de responsabilidade dos profissionais a garantia deste acesso.

No atendimento médico, recomendado ao longo de todo processo gestacional, devem ser fornecidas informações sobre a situação e avaliados possíveis malefícios e benefícios do parto normal e da cesariana, bem como ajudar na decisão da opção final. A orientação deve acontecer de forma ética, isenta e responsável, para que não haja influencias além das questões de saúde.

 

A importância do pré-natal

Muitas orientações são importantes no decorrer da gestação e o acompanhamento especializado é indispensável. Denominado pré-natal, esse atendimento médico é responsável pela detecção e diagnóstico de possíveis problemas, tanto maternos quanto fetais, o que permite o tratamento precoce, a prevenção e a redução de riscos. Dessa maneira, o pré-natal é a preparação, física e psicológica baseada em hábitos saudáveis, adotada durante a gestação, para o ato do parto e para os primeiros momentos que o precedem.

O parto é um procedimento de cobertura obrigatória para os planos de saúde que oferecem a segmentação hospitalar com obstetrícia. A Resolução Normativa nº 368, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), determina o acesso público a informações sobre partos por operadoras, por estabelecimentos de saúde e por médicos. O principal objetivo é contribuir na transparência desses dados para embasar as orientações sobre o parto, além de contribuir na redução de cesarianas desnecessárias e promover melhorias nos cuidados durante a gestação. A melhor escolha é sempre pela saúde integral em longo prazo.